Empreendedores ganham dinheiro na internet em tempos de crise

No mundo da informação já participa mais de 1,5 milhão pessoas. Em alguns casos pessoas já compram bens como casas, carros só com a criação de um aplicativo de sucesso

Muita gente viu a crise como uma oportunidade de faturar alto na internet. E quem faz parte deste mercado não tem o que reclamar, pois mesmo em tempos de vacas magras, o mercado só cresceu, e muito.

O segredo é ter boas idéias, não cair na mesmice de que emprego consursado é a solução, pois neste mercado só tem espaço para quem pensa em soluções, e não nos problemas.

“Muitas pessoas largaram seu trabalho e foram atrás para abrir seus próprios negócios.

Como ninguém sabe quando a crise pode terminar, pessoas estudam cursos na internet e aprendem a vender serviços como a criação de sites, blogs ou consultorias.

Há gente que até ganhava um bom salário largando seus empregos estabilizados para ganhar até 3x mais fazendo trabalhos via internet.

“Não estou arrependido pois toda essa liberdade me deixa ter um tempo hábil pra criar soluções que podem ser úteis para milhares de pessoas ou empresas, e ainda faço o que eu gosto, a partir de casa, ou da onde eu estiver, basta ter uma conexão com a internet, e pronto, estou trabalhando.

Outras pessoas criam um aplicativo que tem cadastros abertos de acordo com o perfil de alguém que deseja fazer um concurso público. Jefersob ganhava R$ 2 mil por mês com anuncios dentro do app. A ideia foi tão boa que uma empresa portuguesa comprou a idéia.

“Eu pude comprar minha casa própria a vista, com o valor que vendi o aplicativo”, diz o desenvolvedor.

Quem disse que ele isso para por ai?

Claro que não é tão fácil, mas a maioria dessas pessoas não ganham dinheiro com aplicativos, e sim com simples sites de vendas, projetando blogs para terceiros e coisas do tipo. Entenda que cada vezs mais as pessoas estão usando a internet pra buscar soluções, serviços e produtos.

Shoppings, lojas estão cada vez mais fechando as portas, a revolução do trabalho online e ter toda sua renda proveniente destes tipos de serviços é nescessária.

Claro que não falamos das mais de 1500000 pessoas que estão empregadas em setores de tecnologia. Gostou?

Para ver mais notícias como esta acesse http://www.globo.com/